21.3.12

Sim, falar. Não escrever num cartão ou sussurrar no ouvido de alguém. A-mo-vo-cê. Não para mandar com flores, mas pra fazer flores com as palavras. Não só para amores do sexo oposto, eleitos pra dividir a vida com a gente. Mas para todos os que verdadeiramente amamos. São muitos.

Amamos quem divide com a gente um dia de trabalho. Amamos quem nos faz rir. Amamos quem dá ou aceita ajuda. Amamos quem sabe ser carinhoso. Existe amor em nós e é bom falar sobre ele. É energia que se multiplica e torna melhor o dia, o tempo, a vida.

Cris Guerra


.

Um comentário:

Guilherme disse...

Ao final de um dia cheio, talvez a sequência mais bonita que a modernidade poderia nos dar é, dividir a cama, dividir cansaços, multiplicar carinhos, partilhar silêncios. Adormecer...